Investigaciones arqueológicas en el valle del río Ribeira de Iguape (Sudeste-Sur del Brasil): una síntesis.

Marisa Coutinho Afonso

Resumen


Las cuencas de los ríos de las Tierras Bajas representan espacios importantes para el entendimiento de diversas cuestiones de la arqueología de América del Sur. Entre ellas se encuentra la cuenca del río Ribeira de Iguape ubicada en el sureste del estado de São Paulo y nordeste del estado de Paraná sureste y sur de Brasil). El objetivo de este artículo es presentar una breve reseña histórica de las investigaciones arqueológicas y una síntesis de las ocupaciones precoloniales en esta cuenca. Con más de un siglo de investigaciones arqueológicas regionales, se identificaron sambaquis costeros y fluviales, sitios líticos, sitios cerámicos (principalmente Jê, tradición Itararé-Taquara y pocos sitios de la tradición Tupiguarani).


Palabras clave


Tierras Bajas de América del Sur; Río Ribeira de Iguape; Sambaquis; Sitios líticos; Sitios cerámicos;

Texto completo:

PDF (Português (Brasil))

Referencias


Afonso, M.C. (2005) “Um olhar para a arqueologia pré-histórica do Estado de São Paulo”. Tese de Livre Docência, Museu de Arqueologia e Etnologia, Universidade de São Paulo.

Afonso, M.C. (2016) “Arqueologia Jê no Estado de São Paulo”. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia 27, pp. 30-43.

Afonso, M.C. & Morais, J.L. (2002) “Estudo de uma “casa subterrânea” na bacia do rio Ribeira de Iguape, São Paulo”. Pesquisas, Antropologia, São Leopoldo 58, pp. 157-163.

Alberto, L.A. (2014) “Registros rupestres de São Paulo: Conhecer para Preservar”. Dissertação de Mestrado. Museu de Arqueologia e Etnologia, Universidade de São Paulo.

Almeida, F.O., Miguel, R., Pedott, R., Monma, R., Bassi, F.S. & Amaral, D.M. (2017) “Os ceramistas Jê nos arranha-céus do Alto Ribeira: uma análise espacial Itararé-Taquara”. Cadernos do LEPAARQ XIV (27), pp. 407-434.

Alves, C.C. (2008) “Análise zooarqueológica de um sambaqui fluvial: o caso do sítio Capelinha I”. Dissertação de Mestrado, Museu de Arqueologia e Etnologia, Universidade de São Paulo.

Araujo, A.G.M. (2001) “Teoria e método em Arqueologia regional: um estudo de caso no Alto Paranapanema, Estado de São Paulo”. Tese de Doutorado em Arqueologia, Universidade de São Paulo.

Araujo, A.G.M. (2007) “A tradição cerâmica Itararé-Taquara: características, área de ocorrência e algumas hipóteses sobre a expansão dos grupos Jê no sudeste do Brasil”. Revista de Arqueologia 20, pp. 09-38.

Araujo, A.G.M. (2016) “Explorando a espacialidade de um sítio Itararé-Taquara: estudo de caso do sítio Areia Branca 5, sudeste do Estado de São Paulo”. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia 27, pp. 55-82.

Barreto, C.N.G. (1988) “A Ocupação Pré-Colonial do Vale do Ribeira de Iguape, SP: os sítios concheiros do médio curso”. Dissertação de Mestrado. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo.

Barreto, C.N.G., DeBlasis, P.A.D., Dias Neto, C.C.M; Karmann, I., Lino, C.F. & Robrahn, E.M. (1982) “Abrigo Ponta de Flecha: um Projeto Arqueológico, Paleontológico e Geológico no Médio Ribeira do lguape, São Paulo”. Revista de Pré-História 3 (4), pp.195-215.

Binford, L. (1979) “Organization and formation processes: looking at curated technologies”. Journal of Anthropological Research 35, pp. 255-273.

Bonetti, C. (1998) “Análise do Padrão de Estabelecimento dos Grupos

Coletores e Pescadores do Baixo Vale do Ribeira”. Dissertação de Mestrado, Museu de Arqueologia e Etnologia, Universidade de São Paulo.

Bonetti, C. (2000) “Levantamento dos sambaquis situados na antiga linha da costa, Iguape”. Tese de doutorado, Museu de Arqueologia e Etnologia, Universidade de São Paulo.

Bonetti, C. (2015) “Catálogo dos sambaquis do litoral do estado de São Paulo. Fase 1: Inventário, catalogação e mapeamento dos sítios arqueológicos”. Relatório de Pós-Doutorado. Museu de Arqueologia e Etnologia, Universidade de São Paulo.

Borges, C. (2009) “Analyse archéozoologique d’un amas-coquillier fluviatile: le Site Laranjal, Vallée du Ribeira de Iguape- État de São Paulo – Brésil”. Master Erasmus Mundus en Quaternaire et Préhistoire. Muséum National d´Histoire Naturelle, Paris.

Brito-Schimmel, P., Porsani, J.L., Figuti, L. & DeBlasis, P. (2002) “Aplicação de métodos geofísicos em Arqueologia: primeiros resultados obtidos no sambaqui fluvial Capelinha, Cajati-SP”. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia 12, pp. 43-54.

Calippo, F. (2004) “Os sambaquis subnersos de Cananéia: um estudo de caso de arqueologia subaquática”. Dissertação de mestrado, Museu de Arqueologia e Etnologia, Universidade de São Paulo.

Calippo, F. (2010) “Sociedade Sambaquieira: comunidades marítimas”. Tese de doutorado, Museu de Arqueologia e Etnologia, Universidade de São Paulo.

Chmyz, I. (1995) “Arqueologia de Curitiba”. Boletim Informativo da Casa Romário Martins 21 (105), pp. 3-54.

Chmyz, I. (2000) “A Tradição Tupiguarani no Litoral do Estado do Paraná”. Revista do Círculo de Estudos Bandeirantes 16, pp. 71-95.

Chmyz, I., Sganzerla, E.M., Volcov, J.E. (1999) Arqueologia da área prioritária Projeto Hidroelétrico Tijuco Alto. Rio Ribeira – São Paulo – Paraná. Centro de Estudos e Pesquisas Arqueológicas da Universidade Federal do Paraná (CEPA/UFPR).

CNC/SBE - Cadastro Nacional de Cavernas do Brasil. Disponível em: http://www.sbe.com.br/cnc Acesso em: 09março 2019.

Collet, G. (1985) Novas informações sobre sambaquis fluviais do Estado de São Paulo. Arquivos do Museu de História Natural 10.

DeBlasis, P.A.D. (1988) “A ocupação pré-colonial do vale do Ribeira de Iguape, SP: os sítios líticos do médio curso”. Dissertação de mestrado, FFLCH-USP.

DeBlasis, P.A.D. (1996) “Bairro da Serra em Três Tempos: arqueologia, uso do espaço e continuidade cultural no médio vale do Ribeira”. Tese de Doutorado. Museu de Arqueologia e Etnologia, Universidade de São Paulo.

DeBlasis, P.A.D. (1999) “Indicadores de Transição do Arcaico para o Formativo na Região Montanhosa do Médio Vale do Ribeira, SP”. Em: Tenorio, M.C. (org): Pré-História da Terra Brasilis, pp. 273-284. Editora UFRJ, Rio de Janeiro.

DeBlasis, P.A.D. & Piedade, S.C M. (1991) “As pesquisas do Instituto de Pré-História e seu acervo: balanço preliminar e bibliografia comentada”. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia 1, pp. 165-188.

DeBlasis, P.A.D., Piedade, S.C.M. & Morales, W.F. (1994) “Algumas considerações sobre os sambaquis fluviais do médio Ribeira, SP”. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia 4, pp. 218-219.

Demartini, C.M.C. (2004) “Caracterização cultural e gerenciamento do patrimônio arqueológico da Parque Estadual da Ilha do Cardoso”. Tese de doutorado, Museu de Arqueologia e Etnologia, Universidade de São Paulo.

Diegues, A.C. (2007) “O Vale do Ribeira e Litoral de São Paulo: meio-ambiente, história e população”. Disponível em http://nupaub.fflch.usp.br/sites/nupaub.fflch.usp.br/files/color/cenpec.pdf. Acesso em 10 de março de 2019.

Eggers, S., Parks, M., Grupe, G. & Reinhard, K. (2011) “Paleoindian Diet, Migration and Morphology in Brazil: Archaeological Complexity of the Earliest Americans”. PloS ONE 6(9), pp. e23962.

Felizardo, A.J. (2018) “Abrigo Maximiano: uma análise sob a ótica da geoarqueologia”. Dissertação de Mestrado, Museu de Arqueologia e Etnologia, Universidade de São Paulo.

Figuti, L. (2004) “Investigações arqueológicas e geofísicas dos sambaquis fluviais do vale do Ribeira de Iguape, Estado de São Paulo”. Relatório final de atividades do projeto temático (Projeto Fapesp n.99/12684-2).

Figuti, L., Plens, C. & DeBlasis, P. (2013) “Small sambaquis and big chronologies: shell mound building and hunter-gatherers in neotropical highlands”. Radiocarbon 55 (2–3), pp. 1215–1221.

Filippini, J. (2004) “Biodistância entre sambaquieiros fluviais e costeiros: uma abordagem não métrica craniana entre três sítios fluviais do vale do Ribeira- SP (Moraes, Capelinha e Pavão XVI) e três costeiros do sul e sudeste do Brasil (Piaçaguera, Jabuticabeira II e Tenório)”. Dissertação de mestrado, Museu de Arqueologia e Etnologia, Universidade de São Paulo.

Filippini, J. & Eggers, S. (2005-2006) “Distância biológica entre sambaquieiros fluviais (Moraes -Vale do Ribeira-SP) e construtores de sítios litorâneos (Piaçaguera e Tenório-SP e Jabuticabeira II-SC)”. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia 15/16, pp. 165-180.

Fischer, P.F. (2012) “Os moleques do morro e os moleques da praia: estresse e mortalidade em um sambaqui fluvial (Moraes, vale do Ribeira de Iguape, SP) e em um sambaqui litorâneo (Piaçaguera, Baixada Santista, SP)”. Dissertação de Mestrado, Museu de Arqueologia e Etnologia, Universidade de São Paulo.

Fundação Florestal do Estado de São Paulo (2010) Planos de manejo espeleológico do PETAR. Resumo executivo. Secretaria do Meio Ambiente, São Paulo.

Gomes, M.J.S. (2003) “Utilização de métodos geofísicos em sambaquis fluviais, região do Vale do Ribeira de Iguape – SP/PR”. Dissertação de Mestrado, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo.

Karmann, I. (1994) “Evolução e dinâmica atual do sistema cárstico do alto vale do Rio Ribeira de Iguape, Sudeste do Estado de São Paulo”. Tese de Doutorado. Instituto de Geociências, Universidade de São Paulo.

Karmann, I. & Sanchez, L.E. (1979) “Distribuição das rochas carbonáticas e províncias espeleológicas do Brasil”. Espeleo-Tema 13, pp. 67-105.

Kozlowski, H.S. & Corteletti, R. (2019) “Paisagem de mobilidade Jê Meridional do Alto Vale do Ribeira de Iguape”. Arqueologia. Centro de Estudos e Pesquisas Arqueológicas (UFPR), 22 (1), pp. 1-24.

Krone, R. (1914) “Informações ethnographicas do Valle do rio Ribeira de Iguape”. In: Comissão Geographica e Geologica do Estado de São Paulo. Exploração do Rio Ribeira de Iguape, pp. 23-34. Typographia Brazil de Rothschild & Co., São Paulo.

Krone, R. (1950) “As grutas calcárias do Vale do Ribeira de Iguape”. Revista do Instituto Histórico, Geográfico e Geológico VIII (3).

Lima, A.P.S. (2005) “Análise dos processos formativos do sítio Capelinha, estabelecimento de um contexto microrregional”. Dissertação de Mestrado, Museu de Arqueologia e Etnologia, Universidade de São Paulo.

Miller, T.O. (1972) “Arqueologia da Região Central do Estado de São Paulo”. Dédalo 8 (16), pp. 13-118.

Morais, J.L. (2000) “Tópicos de Arqueologia da Paisagem”. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia 10, pp. 3-30.

Morais, J.L. (coord.) (2005) Programa Estudo do Patrimônio Arqueológico, Arquitetônico e Paisagístico da Linha de Transmissão 500 kV, Bateias-Ibiúna PR, SP: fase II - Resgate e Preservação do Patrimônio Arqueológico e Arquitetônico. Relatório final. Museu de Arqueologia e Etnologia, Universidade de São Paulo, Furnas Centrais Elétricas. Volumes 1 e 2.

Morales, W.F. (1998) “Ricardo Krone e as pesquisas arqueológicas no Vale do Ribeira de Iguape, SP”. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia 8, pp. 281-286.

Mota, L.T. (2016) “A passagem e a presença dos Jê Meridionais por São Paulo e Paraná: uma reflexão etno-histórica”. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia 27, pp. 135-157.

Nascimento, F.B. & Scifoni, S. (2010) “A paisagem cultural como novo paradigma para a proteção: a experiência do Vale do Ribeira-SP”. Revista CPC 10, pp. 29-48.

Neves, W.A., Hubbe, M., Okumura, M.M.M., Gonzalez-José, R., Figuti, L.,

Eggers, S., DeBlasis, P. (2005) “A new early Holocene human skeleton from Brazil: implications for the settlement of the New World”. Journal of Human Evolution 48, pp. 403-414.

Neves, W.A., Okumura, M.M. (2005) “Afinidades biológicas de grupos pré-históricos do vale do Rio Ribeira de Iguape (SP): uma análise preliminar”. Revista de Antropologia 48 (2), pp. 525-558.

Noelli, F.S. (2004) “O mapa arqueológico dos povos Jê no sul do Brasil”. In: Tommasino, K.; Mota, L.; Noelli, F.S. (Org.). Novas contribuições aos estudos interdisciplinares dos Kaingang. Londrina: EDUEL, pp. 19-55.

Noelli, F.S. & Souza, J.G. (2017) “Novas perspectivas para a cartografia arqueológica Jê no Brasil meridional”. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas 12 (1), pp. 57-84.

Parellada, C.I. (2005) “Estudo arqueológico no Alto Vale do Rio Ribeira: área do Gasoduto Bolívia-Brasil, trecho X, Paraná”. Tese de Doutorado. Museu de Arqueologia e Etnologia, Universidade de São Paulo.

Parellada, C.I. (2015) “Arte Rupestre no Paraná: novas discussões”. Revista Tecnologia e Ambiente, Dossiê IX Reunião da Sociedade de Arqueologia Brasileira / Regional Sul, 21 (1), pp. 45-69.

Parellada, C.I. (2016) “Paisagens transformadas: a arqueologia de povos Jê no Paraná, sul do Brasil”. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia 27, pp. 158-167.

Lima, A.P.S. (2005) “Análise dos processos formativos do sítio Capelinha. Estabelecimento de um contexto microrregional”. Dissertação de Mestrado, Museu de Arqueologia e Etnologia, Universidade de São Paulo.

Plens, C.R. (2007) “O Sítio Moraes: Uma Biografia Não Autorizada”. Tese de Doutorado. Museu deArqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo.

Plens, C.R. (2013) “Processos construtivos de um sambaqui fluvial”. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia 23, pp. 3-18.

Prous, A. (1979) “Première information sur les maisons souterraines de l’État de São Paulo, Brésil”. Revista de Pré-História 1 (1), pp. 127-145.

Robrahn, E.M. (1989) “A ocupação pré-colonial do vale do Ribeira de Iguape, SP: os grupos ceramistas do médio curso. 1988”. Dissertação de Mestrado. Universidade de São Paulo.

Robrahn-González, E.M. (1999) “Diversidade cultural entre os grupos ceramistas do sul-sudeste brasileiro:o caso do Vale do Ribeira de Iguape”. En: Tenorio, M.C. (org.). Pré--História da Terra Brasilis. Editora UFRJ, Rio de Janeiro.

Robrahn-González, E.M.; DeBlasis, P.A.D. (1998) “Investigações arqueológicas no médio/baixo Vale do Ribeira de Iguape”. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia 8, pp. 57-69.

Ross, J.L.S. (2002) “A morfogênese da Bacia do Ribeira do Iguape e os sistemas ambientais”. GEOUSP - Espaço e Tempo, 12, pp. 21-46.

Sakai, K. (1981) Notas Arqueológicas do Estado de São Paulo. Instituto Paulista de Arqueologia. São Paulo, 101 p.

Scatamacchia, M.C.M.(1981) “Tentativa de caracterização da tradição Tupiguarani”. Dissertação de Mestrado, FFLCH/USP.

Scatamacchia, M.C.M. (2005) “Arqueologia no Baixo Vale do Ribeira”. Navigator 1 (1), pp. 56-68.

Scatamacchia, M.C.M. & Uchôa, D.P. (1993) “O contato euro-indígena visto através de sítios arqueológicos do Estado de São Paulo”. Revista de Arqueologia 7, pp.153-173.

SMA. Secretaria de Meio Ambiente, Estado de São Paulo (1996) Proposta de

Macrozoneamento do Vale do Ribeira, Relatório Final.

Souza, J.G. & Merencio, F.T. (2013) “A diversidade dos sítios arqueológicos Jê do Sul no Estado do Paraná”. Cadernos do LEPAARQ. Textos de Antropologia, Arqueologia e Patrimônio X (20), pp. 93-130.

Suguio, K. & Tessler, M.G. (1992) “Depósitos quaternários da planície costeira de Cananeia-Iguape (SP)”. Publicação Especial do Instituto Oceanográfico USP 9, pp. 1-33.

Tognoli, A.R.O. (2016) “Zooarqueologia dos sambaquis fluviais Caraça, Estreito, Tatupeva e Lageado IV: uma leitura da paisagem sambaquieira da região de Itaoca – Vale do Ribeira de Iguape”. Dissertação de Mestrado, Museu de Arqueologia e Etnologia, Universidade de São Paulo.

Uchôa, D. P. & Garcia, C. D. R. (1983) “Cadastramento dos sítios arqueológicos da Baixada Cananéia-Iguape, litoral sul do Estado de São Paulo, Brasil”. Revista de Arqueologia 1 (1), pp. 19-29.




DOI: https://doi.org/10.24215/25456377e085

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.





Revista del Museo de La Plata

Versión en línea: ISSN - 2545-6377
Versión impresa: ISSN - 2545-6369